• Home
  • /
  • Destaques
  • /
  • VIAGEM AO PASSADO: O Dr. Zé Alves foi um dos aviadores de Serra Talhada

VIAGEM AO PASSADO: O Dr. Zé Alves foi um dos aviadores de Serra Talhada

Por Paulo César Gomes

Publicado às 05h10 deste sábado (25)

O “Viagem ao Passado” deste sábado (25) convida o amigo leitor a adentrar por uma história pouco conhecida em Serra Talhada e que tem como personagem o Dr. José Alves de Carvalho. O popular Dr. Zé Alves, pai do ex-deputado estadual Augusto César, que aparece na fotografia acima atendendo um paciente. Era muito conhecido pela sua atuação na medicina, pela administração da Casa de Saúde São José, e também pelo seu envolvimento com a política local. Mas o que poucas pessoas sabem é que o médico, já falecido, foi por algum tempo foi um aviador, ou pelo menos tinha a ideia de ser.

A história teve início durante a realização da famosa Festa do Algodão, quando na oportunidade surgiu a ideia da fundação do Aeroclube de Serra Talhada. Para comprovar a informação, recorremos a uma detalhada pesquisa pelos aquivos do Jornal Pequeno, na edição de agosto de 1953. Veja o que relatou a reportagem do jornal recifense.

[FUNDADO O AERO CLUBE DE SERRA TALHADA – SERRA TALHADA – (de Afonso de Ligório enviado especial do JORNAL PEQUENO) – Aproveitando a estada nesta cidade de uma comitiva de personalidades influentes na vida do País, por ocasião da Festa do Algodão, o Sr. Mario Pena, que é o responsável pelo surgimento do Aero Clube de Pernambuco, e grande entusiasta da aviação civil, organizou uma rápida reunião entre senadores, deputados e pessoas outras, apresentando as bases para a fundação do Aeroclube de Serra Talhada. A proposta foi imediatamente aceita, tendo o senador Assis Chateaubriand prometido doar o primeiro avião de treinamento para o futuro clube aéreo. Foi escolhido para primeiro presidente do novo aeroclube o médico Jose Alves de Carvalho.]

O fato é que a maioria das pessoas que participaram dessa reunião já não estão mais vivos para detalhar essa história, desde o funcionamento do Aeroclube, até a confirmação se de fato Assis Chateaubriand doou o avião citado na reportagem. A verdade é que durante muitos anos a cidade dispunha do campo de pouso, que era de terra batida, que ficava no Pico da Bandeira, atual bairro da AABB. Durante a Festa do Algodão, dezenas de aeronaves vindas de diferentes regiões do país aterrissaram no campo de pouso com o intuito de prestigiar o evento que foi realizado na Fazenda Saco.

Deixe seu comentário