• Home
  • /
  • Destaques
  • /
  • VIAGEM AO PASSADO: Curiosidades sobre a Praça Sérgio Magalhães no final da década de 1960

VIAGEM AO PASSADO: Curiosidades sobre a Praça Sérgio Magalhães no final da década de 1960

No ‘Viagem ao Passado’ desta segunda-feira (11) vamos desvendar os segredos da Praça Sérgio Magalhães, em 1969, período áureo da Ditadura Militar no Brasil, e contemplar a beleza das fachadas dos casarões da época. Na fotografia dar para observar o famoso e inútil “tanque da praça”, ao fundo, e o Bar Abrigo, que pertencia a ‘Seu Lourinho do Abrigo’, pai da nossa amiga e Policial Civil, Adriana Barbosa.

A esquerda da imagem percebesse um aglomerado de carros em frente ao antigo Fórum, atual Casa da Cultura. Do outro lado, identificamos um ônibus estacionado bem em frente onde existia a Casa Nunes, de ‘Seu Dezinho Magalhães’. Na Casa Nunes se vendia de tudo, inclusive gasolina, por isso o ponto comercial é considerado como sendo um dos primeiros postos de combustível da cidade.

Também dar para perceber que o primeiro coreto da cidade também já não existia, mas por outro lado, não há como não notar a presença dos inesquecíveis  auto-falantes do CIST, que ficavam na parte de cima da praça. Era através destes megafones que se sabia os dias e os horários das festas no clube. Vez ou outra rolava algumas músicas e avisos para entreter a juventude e os moradores do entorno.

Em 1970 esse formato da Sérgio Magalhães foi alterado e somente 2019, a Prefeitura Municipal reformou e devolveu a cidade alguns aspectos da histórica praça. Também é preciso destacar que a fotografia registra como era grande o volume de águas no Rio Pajeú e de como naquele período o Bom Jesus já despontava como o maior bairro de Serra Talhada, principalmente a partir da calçadão de acesso da comunidade ao centro da cidade.

Deixe seu comentário