FOTO HISTÓRICA: O centro de Serra Talhada entre 1930/40 e as primeiras algarobas plantas no Brasil

Por Paulo César Gomes
 
 
A foto em destaque foi tirada de cima da chaminé da Usina de Beneficiamento de Caroá que fica localizada na Rua Coronel Cornélio Soares. A imagem registrada entre o final dos anos 1930 e início dos anos 1940, mostra a frente da antiga prefeitura municipal, onde hoje funciona o prédio da coletoria estadual, com um caminhão na frente.
Dois prédios se destacam na Praça da Igreja do Rosário, na época, era chamada de Rua João Pessoa, em um deles funcionava a Casa Comercial do Coronel Cornélio Soares. Existem fotos na revista Destaque Sertão Social (1980), que afirma que no local funcionava a Escola Cornélio Soares. O fato é que esse seria um dos comércios onde o líder político comercializava vários produtos, entres ele, o algodão.
Outro fato que chama atenção é que não existe árvores nas ruas da cidade, isso só comprova que não havia projeto de arborização naquele período. Também merece destaque na imagem o prédio a direita do prédio da antiga prefeitura municipal, nesse espaço funcionava a Câmara de Vereadores, hoje uma parte dele é usado pela Filarmônica Vilabelense.
Uma das ausências sentidas na imagem é justamente as das frondosas algarobas, que ficam em frente ao antigo prédio da prefeitura. Muitas pessoas não sabem, mas essas foram as primeiras algarobas plantadas no Brasil.
A algaroba chegou a Serra Talhada por iniciativa do Professor J. B. Griffing, da Escola de Agronomia de Viçosa-MG, que enviou as sementes da planta para a Estação Experimental da Fazenda Saco, no início dos anos 1940. A Estação Experimental, já era, na época, uma das maiores referências em agronomia do país, e lá foram desenvolvidas as primeiras mudas de algarobas.
Em 1942, no dia da árvore, 21 de setembro, a diretora do então recém inaugurado Grupo Escolar Solidônio Leite, a Professora Maria Stella de Godoy Batista, junto com um grupo de alunos resolveram plantar as primeiras mudas de algarobas em solo brasileiro, bem em frente ao prédio da prefeitura municipal.
Naquela data, foram plantadas cinco mudas das quais apenas três sobreviveram, outras mudas posteriormente foram plantadas na própria Escola Solidônio Leite e no Hospital Professor Agamenon Magalhães (HOSPAM). As três primeiras mudas que sobreviveram são hoje conhecidas popularmente como “as três Marias”. Por diversas razões, já se incorporaram a paisagem e a memória histórica da cidade.
Por questões desconhecidas, estas que são as primeiras algarobas plantadas no Brasil, há quase 78 anos, não são reconhecidas e nem tão pouco valorizadas. Falta um projeto de tombamento e de iniciativas que a preservem sem afetar as moradias no entorno, assim como, evitar que elas caiam em função das ventanias ou das fortes chuvas.
Foto atual da três primeiras algarobas plantadas no Brasil (Foto: Max Rodrigues/Farol de Notícias-2020)

Deixe seu comentário