• Home
  • /
  • Destaques
  • /
  • Comercial de Serra Talhada: A paixão que venceu a violência e uniu a cidade

Comercial de Serra Talhada: A paixão que venceu a violência e uniu a cidade

Por Paulo César Gomes

Time infantil do comercial

A década 70 foi marcada por uma sequencia de fatos violentos que levaram Serra Talhada a ser destaque em programas de TV e em matérias de jornais e revistas de todo o país. Na cidade havia um clima de medo. Porém, a vida da população – cerca 55.774 habitantes – da mais importante cidade do Sertão do Pajeú não parava.

Havia espaço para assistir os filmes no Cine Art ou no Plaza, aplaudir o trabalho revolucionário do GTAST (Grupo de Teatro Amador de Serra Talhada), tomar banho nas águas do Rio Pajeú, encantar-se com a beleza das misses, dançar e namorar no CIST ou nos “sustados” na casa de algum amigo.

Foi também nesse período que Serra Talhada despertou para uma grande paixão nacional, o futebol! Isso aconteceu no momento em que o até então time amador, o Comercial Esporte Clube, passou a ser profissional, uma mudança que mobilizou a cidade.

Os dias que antecediam os jogos eram marcados por uma grande agitação nas ruas provocando uma ansiedade generalizada em crianças, jovens, adultos e idosos, que acabavam só falando em uma coisa, o jogo do Comercial no próximo domingo!

Time sênior do Comercial (1979): Em pé: Egídio Carvalho, Carlos Godoy, Seu Dito, Flávio Coletor, Manoel Carvalho (Manezim Carvalho), João de Chica, Luiz de Cecília, Antônio de Raquel, Raimundo Gomes. Agachados: Gilberto Godoy, Ciço Gonçalo, Alvino, Modesto Sá, Né das Bicicletas, Luiz Lorena.

Na véspera ou no dia do jogo, a torcida se arrumava cedo para receber de forma respeitosa os adversários logo na entrada do município, e saiam em seguida em carreata pelas principais ruas do centro – fato que nos dias hoje seria impossível, em função da violência e do vandalismo que domina o futebol brasileiro . No início da tarde as bilheterias e os portões do “Pereirão” eram abertos e o público rapidamente ocupava as arquibancadas do estádio.

Os jogos preliminares eram muito aguardados, já que reunia no mesmo time uma geração de personalidades que fizeram e ainda fazem parte da história de Serra Talhada, assim como uma outra geração, bem mais jovem, mas que vibrava com o mesmo entusiasmo dos adultos. Era em momentos como esse que a população se esquecia que vivia em clima de medo e curtia intensamente sua paixão pelo grandioso alvi-rubro sertanejo. Aproveite e identifique alguns torcedores. Entre eles, Dr. Elias Nunes e esposa, Dr. Paulo César Carvalho e o ex-deputado Argemiro Pereira.

Torcida do Comercial em dias de jogos

Se você jogou, foi torcedor ou mascote do Comercial, e quer deixar registrado o seu depoimento sobre essa fase marcante da história de Serra Talhada, entre em contato pelo e-mail pcgomes-st@bol.com.br.

HINO DO TIME DO COMERCIAL 

 

Deixe seu comentário